HealthyLife
Programa de Produção Leiteira Sustentável

Aumento da longevidade
das vacas leiteiras

HealthyLife
Programme for Sustainable Dairy Farming

Aumento da longevidade das vacas leiteiras

Os 10% principais produtores da Holanda têm mais de 5 lactações por vaca

Um desafio comum para produtores de leite em todo o mundo é aumentar a longevidade de seu rebanho leiteiro. O número médio de lactações em todo o mundo é de cerca de 3 lactações por animal (ver Figura 1). Essa média é razoavelmente constante entre países com alta produção de leite em comparação com países com baixa produção de leite. Sabe-se, entretanto, que o número de lactações por vaca varia enormemente dentro dos países. O número médio de lactações na Holanda, por exemplo, é de 3,5 lactações por vaca, mas os melhores 10% dos produtores holandeses estão acima de 5 lactações por vaca.

Figura 1, Produção média anual de leite por vaca e número médio de lactações por vaca em 26 países.

A prevenção da ativação imunológica sistêmica tem um grande impacto

Figura 2, embriões clivados, embriões vivos (graus 1 a 3) e embriões de alta qualidade (graus 1 e 2) como porcentagem de embriões-óvulos recuperados (sem) ou como porcentagem de embriões recuperados (com), de acordo com a incidência de doença.

Recentemente, ficou claro que a ativação imunológica sistêmica e a inflamação são responsáveis por muitos dos problemas de desempenho, saúde e fertilidade que resultam no descarte precoce de vacas leiteiras após um período de transição deficiente81.

A origem da ativação imune costuma ser o aparelho reprodutivo, a glândula mamária ou o trato gastrointestinal. A prevenção da ativação imunológica sistêmica ao longo de todo o ciclo de produção, portanto, terá um grande impacto na saúde, desempenho, fertilidade82 (ver Figura 2) e longevidade de um rebanho leiteiro.

O período de transição é período crítico na ativação do sistema imune. Além dele, o período de secagem pode ser uma fonte importante de inflamações sistêmicas83. A ativação imune sistêmica na secagem pode resultar em danos ao fígado que ainda têm um impacto negativo na transição para a lactação subsequente.

Devido ao aquecimento global, o estresse por calor está se tornando um problema comum em vacas leiteiras, mesmo que elas vivam em climas mais amenos66. O estresse por calor resulta em ativação imunológica sistêmica, uma vez que induz “intestino permeável”69 e aumenta o risco de desenvolver mastite80.

Aumentando a longevidade de vacas leiteira com o programa HealthLife

Longevidade de vacas leiteiras tem o maior impacto na Produção Diária Vitalícia. Melhorando o período de transição resultará não só em aumento da longevidade como também melhora na produção de leite na próxima lactação.

Saiba mais sobre saúde e fertilidade em vacas leiteiras